A Virtude da Pureza

A virtude da pureza em PDF

 

A Virtude da Pureza

ou do acolhimento da luz no íntimo da alma

     A análise de Kardec em torno do evangelho visa explicitar sobretudo como Jesus apresenta um efetivo programa de desenvolvimento espiritual e moral da criatura, em plena concordância com a constatação da imortalidade da Continuar lendo

Primícias da Felicidade

“Bem aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus.” (Mateus, V:8)

A felicidade se inicia e se intensifica à medida que a influência da inveja, do orgulho e do egoísmo se enfraquecem até o completo desaparecimento. Essas paixões, quando dominam os homens, são as causas do aborrecimento e da infelicidade humana, desencadeando o ódio, a discórdia e todo o cortejo da desgraça. Para superar essas paixões, só a preocupação e o esforço de realização dos valores do Espírito. Então, todas as questiúnculas que tais paixões podem provocar, e que aborrecem em muito a vida, são percebidas em sua verdadeira realidade – de misérias da inferioridade.

Essa é a liberdade e a pureza que Jesus vem ensinar, de estar livre das misérias dos sentimentos inferiores que só perturbam a mente e atrapalham no progresso. Em se distanciando deles, o homem já pode sentir o quanto a vida se torna mais amena, sem o colorido irritante das intrigas e da revolta, do escândalo e do ressentimento.

Dessa forma, podemos cogitar bem palidamente acerca da felicidade dos Espíritos puros, que só se ocupam com o Bem e com o Belo, em nada se afinando com as miseráveis paixões humanas. Essa visão se aviva mais na razão em que o coração se faz portador de mais nobres sentimentos, conquistando paulatinamente a pureza.

Referência:

 Questão 985 de O Livro dos Espíritos – V Penas temporais.