Como estudar Espiritismo

(extraído do programa de rádio “No Limiar do Amanhã“. Direção e participação do professor Herculano Pires)

O estudo do espiritismo, como ensina Kardec, exige esforço continuado e metódico. A doutrina espírita, aparentemente muito simples, é na verdade complexa e profunda. O seu estudo sério como de qualquer ciência, filosofia ou religião, não pode ser feito em cursos rápidos e superficiais. O interessado precisa de anos de leitura, consultas frequentes às obras básicas, prática experimental e profunda reflexão para adquirir um conhecimento válido.

As obras básicas do espiritismo se constituem de vinte volumes. Deve se começar pelos livros de introdução escritos pelo próprio Kardec. A seguir, é necessário penetrar a fundo e com persistência nos cinco volumes da codificação. Paralelamente a isso, é indispensável a consulta aos doze volumes da Revista Espírita,segundo as identificações que surgem nos próprios volumes da codificação. Sem isso ninguém pode dizer-se conhecedor da doutrina.

A coleção da Revista Espírita é o complemento da codificação. Os livros básicos são sintéticos e muitos dos seus temas só encontram maior desenvolvimento nas páginas da Revista Espírita. A maioria dos pregadores e expositores espíritas ainda não compreendeu isso. Pregar e sustentar erros doutrinários por falta de estudo e excesso de vaidade é incorrer em grande responsabilidade espiritual. Misturar na exposição da doutrina princípios que lhe são estranhos é desfigurar a obra do Espírito da Verdade.

Atenção, espíritas! Todos os que se encontram nas fileiras doutrinárias estão sob a bandeira de renovação do Espírito da Verdade, e a verdade não pode misturar-se com a mentira. Este é um momento bastante grave do espiritismo aqui no Brasil e no mundo. Temos de compreender que não existe outra fonte para o estudo da doutrina. A fonte única é Kardec. Nas obras de Kardec está o pensamento e o ensino dos espíritos superiores. Estudar espiritismo é estudar Kardec.

*

Amigo ouvinte, não procure conhecer o espiritismo através de intérpretes. Vá direto à fonte: a obra de Allan Kardec. Essas obras são bastante didáticas, bastante claras e precisas; dispensam intérpretes. Aprenda espiritismo através das lições do Espírito da Verdade.

Anúncios

10 respostas em “Como estudar Espiritismo

  1. O interessado precisa de anos de leitura??Bem,se a pessoa estiver realmente interessada ela levará a vida inteira imersa nessa leitura.Mas não sei se estou disposto.Há outras doutrinas para estudar,há outras visões do mundo.Se uma pessoa passar a vida toda numa mesma religião ela ficará com a mente engessada.Por isso é sempre bom renovar as ideias,as crenças.Se eu estivesse mergulhado no cristianismo,eu não estaria agora lendo este artigo.Vê?Sou um espírito livre!Acredito que ninguém deveria se converter à religião nenhuma,que todos deveriam ter a mente livre para pensar no que quiserem e tirarem suas próprias opiniões.Mas o Espiritismo é uma bonita doutrina e prega que a vida continua.Uau!Resta uma luz no fim do túnel…

    • Acho que você está fazendo uma tempestade, rs! A proposta é simples: se aprofunde naquilo que você gosta, mas com método, com continuidade e profunda vivência, e sem intermediários, vá na fonte. Tem que organizar a vida para isso, com certeza, mas não está incentivando a ficar bitolado. Você não disse que se encanta muito com o Senhor Krishna, pois bem, mergulhe em sua sabedoria, busque as fontes primeiras que propagam o seu saber transcendental, não leia apressadamente, mas medite incansavelmente e ao mesmo tempo se esforce por viver, para que tenhas uma compreensão viva e não apenas intelectual. Procurar outros conhecimentos não só faz parte como é necessário para o próprio aprofundamento…. O movimento da investigação tem duas direções simultâneas: a vertical e a horizontal. Na direção vertical você mergulha naquilo que ama, no seu objeto central de pesquisa; na direção horizontal, você explora com rigor a cultura geral, buscando a sabedoria dos outros povos, os avanços da ciência, para relacionar, contextualizar, contrastar, complementar a sua investigação principal.

      Esse artigo que você leu acima é de Herculano Pires. Ele é um dos maiores exemplos desse tipo de investigação vertical/horizontal: ao mesmo tempo em que ele se aprofundou sistematicamente na obra de Kardec, ele buscou dialogar com a cultura geral, assim, investigou a antropologia das religiões, estabeleceu um diálogo crítico com o existencialismo ateu e espiritualista, estudou a filosofia da ciência, mergulhou na literatura clássica, enfim, em nenhum momento de sua atividade intelectual se fechou e se isolou em um pedacinho da cultura, lógico que não pôde abarcar tudo, mas manteve a postura principal: de abertura e diálogo com o mundo do conhecimento em geral. É simples, não é questão de perder ou não a liberdade, é questão de não ficar apenas em apreciações e encantamentos superficiais dos conhecimentos que se apresentam ao longo da vida…

      • Não tenho preconceito em relação à nada,tudo o que me puxa para cima é bem-vindo.Ultimamente tenho me interessado por ocultismo e li alguns livros sobre esse assunto.Eliphas Levi,Helena Blavatsky,Franz Bardon,Aleister Crowley,Anne Besant,Papus,Stanilas de Guaita,etc,etc…Pois bem eu li,não os estudei como você sugere pois fazer isso levaria uma vida toda e não quero chegar ao fim da minha jornada terrstre e descobrei que trilhei o caminho errado.Portanto procuro filtrar tudo aquilo que leio e absorver o que mais me agrada.Até agora o melhor livro que encontrei foi o Bhagavad Gita,mas minha visão do livro é puramente filosófica e não religiosa como os adeptos do Hare Krisha.Também admiro o Buda,o Siddhartha Gautama,ele tem uma linda história de vida.Foi um príncipe,mas abandonou o palácio para buscar a cura do sofrimento e descobriu que a cura estava apenas dentro de nós mesmos.Esse despertar é que é o verdadeiro nirvana.Também estou em busca do meu próprio nirvana,ou seja,quero despertar.Uma das últimas palavras do Buda foram:
        “Lembrem-se de mim como aquele que despertou”.Lindo,não?

  2. Sou novata no Espiritismo (apenas 3 anos) e estou fascinada com tantas respostas, Sempre fugi de religiões e encontrei na doutrina Espírita o meu caminho. Concordo plenamente com as orientações do Sr. Herculano Pires e é isso que procuro fazer pois encontrei muitas explicações confusas. Decidi então ir à fonte e em razão disso aqui estou, lendo esse post. Baixei todas as obras de Allan Kardec e consulto sempre a Kardecpedia onde existem os links entre as obras. Estou muito feliz com minha descoberta e obrigada por esse site tão sério!

    • Oi, Maria! Eu também fico muito feliz com sua descoberta! Acredito que sei um pouco como é encontrar Kardec!
      Quero dizer: realmente é muito bom descobrir a profundidade do pensamento kardequiano, seu método e a validade
      do conhecimento que ele ajuda a elaborar, bem como as múltiplas possibilidades de esclarecimentos acerca dos problemas
      filosóficos e religiosos dentro da cultura geral – os postulados espíritas possibilitam um amplo diálogo com os
      vários campos do conhecimento, e a obra de Herculano Pires é uma demonstração disso.
      Bom, caso queira conversar, estou por aqui! Também sou novo em Espiritismo e é bom encontrar amigos com entusiasmo e senso de
      seriedade. Bons estudos e até mais.

  3. O blogue é muito bom… Até agora vejo coerência com os princípios e fundamentos da Doutrina! Se por um lado perdemos Herculano, por outro, felizmente, temos Cosme Massi.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s