O Trabalho na Contemporaneidade

O Espírito e o Tempo

Esta época é de aviltamento e vulgarização das coisas mais importantes e que conferem dignidade à existência humana.

Assim, o trabalho foi encerrado em uma monotonia perversa, motivado por fins ridículos, e essa é talvez a pior das desgraças sociais.

Sim, a pior e mais horrenda, pois a vida é o processo de desenvolvimento do princípio espiritual que fundamenta todo o real, e a única condição do progresso efetivo dos poderes anímicos é justamente o trabalho.

Todavia, o trabalho se afasta cada vez mais do seu sentido ontológico e se reduz aos valores econômicos. A atividade humana se limita a uma agitação em que as forças se dissipam e a matéria domina. Não há estratagema mais perverso, abismo mais obscuro, do que tornar o trabalho, que é a condição do progresso, em elemento domesticador e alienante do Espírito.

Definitivamente, o trabalho precisa se tornar o espaço de contínua realização…

Ver o post original 185 mais palavras

Anúncios

6 respostas em “O Trabalho na Contemporaneidade

    • Olá, Rubens,
      Esta afirmação – toda ocupação útil é trabalho – está dentro de toda uma visão de mundo e
      de uma decorrente escala de valores… você entende?

      Essa afirmação sozinha, sem o seu contexto teórico, é muito ambígua e pode mesmo encerrar
      contradições.

      Por exemplo, a ocupação de um criminoso ou de uma quadrilha de criminosos, planejando
      meticulosamente os passos de um crime, exige todo um trabalho, um esforço e uma
      atividade ordenada, mas esse trabalho criminoso não dignifica quem executa, não desenvolve
      moralmente; toda uma equipe planejando uma campanha publicitária, fazendo uso de conhecimentos da psicologia para melhor manipular a mente de uma massa de pessoas, infundindo o desejo de satisfazer necessidades inventadas, tudo isso exige muito trabalho, ocupação, dispêndio de tempo e energia, mas de utilidade moral praticamente nula.

      A questão é que o trabalho determinado apenas por questões econômicas não fomenta o progresso integral da criatura. O Espiritismo esclarece quanto a necessidade do progresso total, isto é, intelecto-moral.
      O criminoso, o político, o publicitário, o cidadão comum, todos desenvolvem a inteligência através do trabalho que dispendem, mas frequentemente em detrimento à realização moral.

      Por isso uso a expressão “sentido ontológico” do trabalho, isto é, que a finalidade de toda atividade está na emancipação espiritual do ser que se manifesta no tempo. O trabalho sem um efetivo horizonte de transcendência perpetua o estado de misérias sociais e morais, tais como vemos ainda hoje: ao lado do progresso tecnológico vertiginoso há todo um cortejo de dores, misérias, guerras, violência e doenças da alma.

      Portanto, o que de fato é a única condição do progresso – o trabalho – está aprisionado em exigências mundanas que se multiplicam incessantemente.

      Enfim, na questão 704 há uma conclusão sobre o útil: “…visto que só o necessário é útil.”

      Mas a retórica humana facilmente relativiza o necessário… enfim…
      Obrigado pelo estímulo à reflexão.
      Abraço,
      Rafael Meneses

      • Obrigado pelos esclarecimentos!Já li todos os livros do Kardec,mas não me converti ao Espritismo.Na verdade me considero transcendentalista,acredito que a transcendência espiritual é a única forma que nos libertará das amarras materiais.Meu livro favorito é o Bhagavad Gita,um discurso do Lord Krishna pro Arjuna.Amei esse livro!É um texto ao mesmo tempo religioso,filosófico e poético.O Espiritismo é uma bela doutrina,mas tem suas falhas,alguns erros.Por exemplo:no “Livro dos Espíritos” está escrito que o Espírito das pessoas inteligentes se localiza na cabeça e que o espírito das pessoas bondosas se localiza no coração.Ora,a função do coração é bombear sangue,não é uma fonte de sentimento.Na verdade todos nossos sentimentos são armazenados no cérebro,assim como lembranças.Dizer que nas pessoas bondosas o Espírito se localiza no coração é um erro,meu caro.

      • Então, apenas ler os livros não basta para se edificar um conhecimento, digo, um conhecimento profundo e consistente.
        A leitura só faz parte de uma abordagem mais ampla que é propriamente o estudo.
        Você poderia me indicar textualmente a onde se encontra está passagem em O Livro dos Espíritos, porque sinceramente até
        agora eu nunca ouvi falar disso!
        Quanto ao Bhagavad Gita, é realmente extraordinário, um clássico da espiritualidade. Eu só me aproximei desta obra por
        meio de uma leitura superficial e esporádica, mas pretendo, não sei quando, me aproximar dela para estudos de história das
        religiões comparadas. Por sinal, estou lendo, a titulo de iniciação básica, uma compilação de artigos de Sua Divina Graça
        Bhaktvedanta Swami Prabhupada, o fundador da Sociedade Internacional para a Consciência de Krishna; esta sendo bem esclarecedor.
        Creio mesmo que o Bhagavad Gita oferece um excelente caminho espiritual, em virtude da transcendental sabedoria do senhor Krishna…
        pelo menos é o que eu pressinto através do meu contato superficial.
        Caso um dia você queira estudar, e não apenas ler, o espiritismo, indico a refletir num pequeno artigo intitulado “Como estudar Espiritismo”, está no topo do blog… na verdade, o que consta lá, enquanto método, é exigência para o estudo de qualquer filosofia ou religião.
        Até mais.

        Rafael Meneses

      • Bem,a passagem da qual falo é o item 146 do Livro dos Espíritos,o qual diz textualmente o seguinte:
        “A alma tem,no corpo,sede determinada e circunscrita?-Não;porém,nos grandes gênios,em todos os que pensam muito,ela reside mais particularmente na cabeça,ao passo que ocupa principalmente o coração naqueles que muito sentem e cujas ações têm todas por objeto a Humanidade.”
        Aí está!Mais claro é impossível!Eu tenho um amigo espírita que tentou me explicar esse trecho.Ele me falou que na verdade está se referindo ao perispírito.Confesso que esta explicação não me convenceu,e portanto,perguntei sua opinião.Eu sei que quem pensa é o Espírito e não o cérebro.Bem,eu vou ler seu artigo “Como Estudar Espiritismo”.Ops!Ler não! Estudar!Já estou aprendendo alguma coisa com você!Obrigado!Estamos neste mundo para evoluir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s